O mandamento mais importante

 

Um mestre da Lei que estava ali ouviu a discussão. Viu que Jesus tinha dado uma boa resposta e por isso perguntou: — Qual é o mais importante de todos os mandamentos da Lei? Jesus respondeu: — É este: “Escute, povo de Israel! O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com toda a mente e com todas as forças.” E o segundo mais importante é este: “Ame os outros como você ama a você mesmo.” Não existe outro mandamento mais importante do que esses dois. Então o mestre da Lei disse a Jesus: — Muito bem, Mestre! O senhor disse a verdade. Ele é o único Deus, e não existe outro além dele. Devemos amar a Deus com todo o nosso coração, com toda a nossa mente e com todas as nossas forças e também devemos amar os outros como amamos a nós mesmos. Pois é melhor obedecer a estes dois mandamentos do que trazer animais para serem queimados no altar e oferecer outros sacrifícios a Deus. Jesus viu que o mestre da Lei tinha respondido com sabedoria e disse: — Você não está longe do Reino de Deus. Depois disso ninguém tinha coragem de fazer mais perguntas a Jesus.

Um homem dominado por um espírito mau

 

jesus_expulsa_demonios

Jesus e os discípulos chegaram à cidade de Cafarnaum, e, no sábado, ele foi ensinar na sinagoga. As pessoas que o escutavam ficaram muito admiradas com a sua maneira de ensinar. É que Jesus ensinava com a autoridade dele mesmo e não como os mestres da Lei.

Então chegou ali um homem que estava dominado por um espírito mau. O homem gritou: — O que quer de nós, Jesus de Nazaré? Você veio para nos destruir? Sei muito bem quem é você: é o Santo que Deus enviou! Então Jesus ordenou ao espírito mau: — Cale a boca e saia desse homem! Aí o espírito sacudiu o homem com violência e, dando um grito, saiu dele.

Todos ficaram espantados e diziam uns para os outros: — Que quer dizer isso? É um novo ensinamento dado com autoridade. Ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem. E a fama de Jesus se espalhou depressa por toda a região da Galileia. (Marcos 1, 21-28)

O PASTOR E O FAROL

 

HFarolavia uma pequena cidade do lado oeste dos Estados Unidos, às margens do Oceano Pacífico, próspera e progressiva. Não era grande, mas tinha ruas largas e limpas, parques arborizados e os bairros cresciam rapidamente.

A areia branca da praia era como um colar entre os verdes dos morros e o azul do mar. E era ali, no mar, que estava a riqueza do povoado: a pesca.

Cada noite, os barcos varriam as águas com suas redes, trazendo uma quantidade de peixes tão grande que muitas fábricas se instalaram por lá para industrializar e exportar o pescado.

Na entrada da baía, havia um farol antigo que por anos prestava o valioso serviço de guiar os pescadores nas noites escuras de tempestade, iluminando-lhes o caminho no mar.

Nesta cidade, havia também uma igreja, que era a única. O pastor lutava com todas as forças para conscientizar as pessoas do Evangelho e do Juízo de Deus. Poucos lhe davam atenção e menos ainda freqüentavam suas reuniões. Mas o homem não desanimava.

Levantava cedo e passava um bom tempo orando sobre o altar, visitava os doentes, atendia aos que lhe procuravam e ainda se incumbia de acender o farol todos os dias pontualmente às cinco da tarde.

A cidade crescia e os negócios aumentavam. Os barcos eram mais modernos e traziam cada vez mais peixes. O mar era mesmo abundante. Quanto mais barcos viam, mais peixes apareciam nas águas. Ninguém voltava de rede vazia. Noite clara ou escura, ao se puxar a rede, lá estava o valioso tesouro que movia a vida da cidade.

Numa radiante manhã de sábado, o pastor, já com certa idade, morreu. Com exceção dos membros da igreja, ninguém percebeu o fato. Sem chamar qualquer atenção para si mesmo, o laborioso soldado do Evangelho partia da mesma forma que havia vivido.

Sentindo aquela perda, os membros da igreja mandaram uma carta ao prefeito, pedindo-lhe que providenciasse outro pastor. Porém, nenhuma resposta lhes foi dada.

O prefeito era mesmo muito ocupado. Um grande mercado de pesca estava sendo construído para atender os compradores de toda parte. Eram, na maioria, representantes das grandes fábricas da América que vinham fechar lucrativos negócios. Havia também planos para uma nova escola e ampliação do hospital. Com tantos projetos importantes, era mesmo difícil conseguir a atenção daquele homem.

Quando tudo parecia ir bem, a pesca passou a ser escassa. As redes, que outrora vinham cheias, passaram a vir vazias. Em princípio não se deu importância ao fato, afinal os estoques estavam cheios. Mas, com o passar do tempo, o problema se agravou. Os barcos eram lançados ao mar, varrendo cada centímetro das águas, porém, sem obterem sucesso.

O mercado ficou vazio. As fábricas fecharam e os funcionários foram demitidos. A construção da escola foi adiada, bem como a reforma do hospital. Muitos especialistas foram consultados, mas em vão. Ninguém sabia, mas o fato era que o peixe já não vinha na rede.

Desesperados, os pescadores continuavam sua luta. Na esperança de uma mudança, saíam todas as noites para a pesca, e foi numa dessas noites que uma tempestade rapidamente se formou sem que eles notassem. Logo o mar estava revolto e o céu, coberto de nuvens, não trazia nenhuma luz. Sem visão para navegar, um dos barcos, surrado pelas ondas, foi atirado violentamente contra o farol, que, desde a morte do pastor, nunca mais fora aceso.

Na manhã seguinte, o prefeito estava desolado em seu gabinete. Ele havia tentado de tudo o que estava ao seu alcance, sem sucesso. Pensativo e cabisbaixo, avistou sobre a mesa a carta dos membros da igreja, a qual dizia:

“Senhor Prefeito, nós, os membros da única igreja da comunidade, informamos a Vossa Excelência o falecimento de nosso pastor. Em seu ministério, ele orava todos os dias pela nossa cidade e pedia a Deus que nunca faltasse peixe no mar.
Preocupado com os pescadores, também acendia todas as tardes o farol para guiá-los nas noites escuras. Nunca esmoreceu. Se não tivermos outro homem de Deus que abençoe a pesca e acenda o farol, os peixes vão escassear e, numa noite escura, nossos barcos correrão o risco de naufragar, lançados pelas ondas contra algum rochedo no mar.”

O prefeito encontrou assim a resposta que buscava. Os fatos agora eram claros e óbvios à sua frente. “Mas como nunca me dei conta deste homem e de seu trabalho?”, indagou o prefeito a si mesmo.

A partir daí, ele entendeu que o pastor era como o farol, que não lança a luz sobre si mesmo, mas sim sobre as ondas do mar para iluminar o caminho dos homens. Aquele trabalho anônimo era mesmo de extraordinário valor.

Assim deve ser o pastor, um farol aceso por Deus. Não ilumina a si mesmo em busca da glória do mundo, mas lança sua luz para mostrar aos homens o caminho de Deus. No seu clamor, bênçãos são alcançadas e problemas evitados.

Muitas vezes só nos conscientizamos disto quando os perdemos e nos defrontamos com os problemas. Aí, só nos resta aprender a lição da importância do clamor de um homem de Deus. Não é isso que diz a Palavra do Senhor?

“Busquei entre eles um homem que levantasse um muro, e se pusesse na brecha perante mim, a favor desta terra, para que Eu não a destruísse, mas a ninguém achei.”(Ezequiel 22.30)

Colaboração: Júlio Freitas

FONTE: BLOG DO BISPO EDIR MACEDO

QUEM ME TOCOU ?

Como anda a sua fé?

Quem me tocou

Quero lhe falar hoje sobre , usando como base (Lucas 8-43 a 48)

Certa mulher que, havia doze anos, vinha sofrendo de uma hemorragia, e a quem ninguém tinha podido curar e que gastara com os médicos todos os seus haveres, veio por trás dele e lhe tocou na orla da veste, e logo se lhe estancou a hemorragia.
Más Jesus disse: Quem me tocou? Como todos negassem, Pedro com seus companheiros disse: Mestre, as multidões te apertam e te oprimem e dizes: Quem me tocou? Contudo, Jesus insistiu: Alguém me tocou, porque senti que de mim saiu poder.
Vendo a mulher que não podia ocultar-se, aproximou-se trêmula e, prostrando-se diante dele, declarou, à vista de todo o povo, a causa por que lhe havia tocado e como imediatamente fora curada.
Então, lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz.

(Lucas 8-43 a 48)

Nesta passagem Bíblica conta a história da mulher “que, havia doze anos”, lutava com uma hemorragia. Além de ter sido essa uma condição médica perigosa, a doença carregava o estigma da impureza, o que, sem dúvida aumentava a miséria daquela mulher. Enquanto isso, os médicos nada podiam fazer. Ela vivia tão desesperada, que gastou todo o seu dinheiro; todavia, somente piorava o que não é de surpreender, considerando os tipos de tratamento médico existentes naquela época. Mal podemos imaginar quanto sofrimento e culpa ela carregava por causa de sua enfermidade.

Então, apareceu Jesus, Aquele que realizava milagres e disse: Mulher, a tua te salvou. .

Aquela mulher tinha muita em Jesus; o bastante para crer que, se ela pudesse tocar sua veste, seria curada. Na verdade, não foi às vestes que a curou, nem mesmo o toque. Foi apenas o poder de Deus operando em alguém que, em total desespero, foi ao Senhor com fé, consciente da própria impotência e necessidade. Aquele toque foi a revelação da em obras, e cristianismo significa exatamente isso.

É muito comum ouvirmos a frase “eu não tenho fé” ou “eu não consigo ter fé”, mesmo que a pessoa diga que crê em Deus.

Por isso hoje o Senhor te escolheu para que você ouse como esta mulher ousou. Mesmo que você não tenha mais fé, ouse como ela. Ela tinha fé que: “se eu apenas tocar na as vestes dele, ficarei curada”. Ela tinha fé que só Jesus poderia lhe dar a cura.

E você? Como está a sua ? Você se considera uma pessoa de ?

Pense bem. Normalmente é muito fácil dizer que se tem fé quando as coisas vão bem. Mas, e quando as coisas começam a dar errado? Você é aquele tipo de pessoa que se mantém calma e serena, procurando centrar-se naquilo que é necessário fazer, esperando com boa vontade que os maus momentos passem e dêem lugar a dias melhores?

Normalmente, quando as coisas não vão bem, a tendência da grande maioria das pessoas é lamentar a sua sorte e abandonar toda a que dizia ter. “Como isso pôde acontecer comigo? Logo eu, que sou uma pessoa de … O que foi que eu fiz de errado?”.

Quando tudo parecer perdido para você, quanto tudo parecer acabado, quando não haver mais forças para lutar ou para vencer a prova, é preciso ter , é preciso acreditar que somente um, Deus, pode fazer o impossível possível na nossa vida, mesmo que Deus ás vezes pareça demorar, ou pareça não nos ver, é preciso ter fé, mesmo que a prova seja grande, é preciso ter , mesmo que pareça impossível, é preciso ter , mesmo que sejamos pecadores, rebeldes, ingratos, é preciso ter fé, pois a mesmo que pareça ser mais simples e mais fácil do que orar e jejuar é o ato de entrega mais difícil da vida do cristão, pois mostra o quanto confiamos em Deus e acreditamos no impossível que Ele possa fazer.

Embora pareça que Deus está longe e muito ocupado resolvendo os problemas de toda a humanidade, jamais devemos deixar de ter nEle, cabe em nosso coração e pode nos ajudar a qualquer momento.

Seja qual for o seu problema, seja ele financeiro, seja conjugal, seja familiar, seja espiritual, seja a sua saúde, seu lar, seu trabalho, seus estudos, seu namoro, seu casamento, seus filhos, seu ministério, sua vida, é preciso ter , pois todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus, e mesmo sem saber Deus está nos ensinando a acreditar.

Por isso hoje eu te convido junto comigo a acreditar, te convido a parar de murmurar e entregar a sua vida nas mãos de Deus, te convido a chorar na presença dEle se for preciso, te convido a gemer no seu altar, te convido a derramar o coração e as suas lágrimas na sua presença, e te convido principalmente a ter , eu te convido hoje a acreditar, tenha , seja qual for o problema, hoje eu te convido a crer, esperar mesmo que não se possa ver, hoje eu te convido a sonhar, a ter .

Certo é que se enchermos os céus com as nossas orações e a presença de Deus com os nossos pedidos, através da e da constante perseverança, também nós superaremos todos os obstáculos humanos e aí então entraremos na dimensão da promessa que permite ao Senhor Jesus sentir que Dele está saindo poder sobre aquele que está tocando a orla da Sua veste que é santa, de modo que naquele momento Ele mesmo fará chegar o dia de recebermos a cura e o milagre em cada área enferma de nossa vida – espiritual, sentimental, material, física, profissional ou qualquer outra, pois todo aquele que O toca com é visitado pela graça sobrenatural e abundante do Rei dos reis e Senhor dos senhores!

Tenha fé em si mesmo, porque Deus habita dentro de você!

FONTE: Wesley Simões – www.evangelismoemslides.com.br

O que é ACEITAR JESUS ?

RECEBI ESTA MENSAGEM POR E-MAIL (VIA U.B.E.) E QUERO COMPARTILHAR COM VOCÊ.

imagesCAGFYCXKO que é aceitar Jesus ?
Vou ter que virar evangélico ? Não!!
Mas vai ter que virar crente .Vai ter aprender a que crer !
Crer que Jesus veio a terra e morreu por você e por mim
vai ter que crer que Ele é o unico caminho que leva a salvação
vai ter que se render a essa verdade.
Vai ter que crer que Jesus é o caminho,e que além D’ele não
há outro.
Aceite Jesus ! Aceitar é reconheçe-lo como Senhor
é ama-lo, respeita-lo.
Você já o ama ? Já o conhece a muito tempo e sempre amou e
respeitou … Melhor ainda ,metade do caminho você já percorreu .
Agora eu tô te pedindo para ir mais longe, tô te pedinho para olhar
além do que a sua mente racional consegue ver .
Estou te pedindo pra ouvir antes de julgar , estou te pedindo para
primeiro ler o livro e só depois fazer a crítica . Estou te pedindo para
se abrir , reconhecer que não é o dono da verdade, reconhecer que há
muito mais nesse mundo do que sonha a sua vã filosofia.
O que te peço é par deixar os “prés” de lado: o preconceito, o pré-julgamento.
A verdade é que você precisa mergulhar pra saber se a água tá fria.
Não importa o que João ou Maria falaram você vai ter que ver com
seus próprios olhos . O que é frio para eles pode não ser pra você, nem tudo que
te fere vai machucar a alguém. ACORDE !! A travessia é indivídual
você nasceu sozinho e vai morrer assim também,não busque suas percepções no outro
não deixe ninguém de carne e osso gerir sua vida por você.
Para aceitar Jesus antes é preciso conheçe-lo . Vá lá e experimente , faça um
test-drive, um curso livre e se você não gostar não tem
problema é só pegar o caminho de volta . Pelo menos vai saber que foi lá e fez,
viu e ouviu e tirou suas próprias conclusões. Sentiu o gosto, tateou.
Pelo menos você vai saber que viveu !! Não ficou parado , lutou e viveu usando
as suas próprias armas. As armas da sua propria intuição. Ao menos
vai saber que na sua vida a última palavra foi sempre sua , vai saber que foi responsável até o fim…

Texto de: Simone Leuterio

aceitar